MVP

O MVP é um conjunto de
testes primários feitos para validar a viabilidade do negócio. São diversas experimentações práticas que serão desenvolvidas levando o produto a um seleto grupo de clientes… mas não é o produto final! Estamos falando de um produto com o mínimo de recursos possíveis, desde que (em sua totalidade) estes mantenham sua função de solução ao problema para o qual foi criado (não vale ser apenas funcionalidades soltas: juntas, elas devem configurar um produto, ainda que em forma de protótipo!). O empreendedor vai oferecer o mínimo de funcionalidades para conhecer na prática a reação do mercado, a compreensão do cliente sobre seu produto e se ele — de fato — soluciona o problema do consumidor.

 O MVP deve provar a visão inicial da startup, revelando se aquela boa ideia corresponde mesmo a um produto interessante (na vida real) ou se era apenas uma “expectativa utópica”, sem lastro com as demandas práticas do mercado.

Não existe uma maneira única para você validar seu produto mínimo viável: o processo dependerá do tipo de negócio, dos clientes e, principalmente, da habilidade técnica do próprio time ao desenvolvê-lo. No entanto, existem alguns passos que podem ajudar no processo.

 1º Passo: ter uma boa equipe

2º Passo: entender o cliente e definir a dor

3º Passo: fazer um script

4º Passo: pôr em prática de forma manual

5º Passo: Melhorar, melhorar e melhorar!

Exemplos:

 AMAZON

A Amazon começou como uma livraria que tentava apresentar uma solução mais prática para clientes. Antes, o mercado era dominado por livrarias físicas, como a Barnes and Nobles. Para testar, a Amazon criou um site com design bem simplificado e vendia apenas livros a preços baixos. Logo, cresceu e hoje é conhecida como “A Loja de Tudo”.

SPOTIFY

O Spotify é outra prova de que o MVP não precisa conter todas as funcionalidades que você sonha colocar em seu produto. Basta que exemplifique a solução e seja possível utilizá-lo a fim de testar e compreender melhor. Uma vez que a audiência
aceite, você inicia o processo de implementar outras funções, que vão fazer o produto ser ainda mais desejado.

 O MVP do Spotify tinha a principal solução,que é protagonista até hoje: streaming de música. Em um app para desktop, a empresa colocou exatamente isso e rodou testes para saber se daria certo. Junto disso, veio o modelo de preço “freemium”, que explicamos aqui. Essas duas coisas juntas se mostraram ser o que as pessoas queriam.

COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
plugins premium WordPress