MATRIZ DE ABERTURA

Em algumas teorias de soluções de problemas complexos, como Triz e Teoria da Atividade (neste caso, uma meta-teoria), o
simples fato de enxergar contradições inerentes a um problema já é o início da definição dele, pois estas contradições fazem com que se tenda a escolher um dos extremos para seguir. Ao analisar a situação de lançar um produto no mercado podemos listar uma dezena delas, mas foquemos em duas fontes de contradições: Volatilidade do mercado e Abertura para compartilhamento de informações.
 

Pegando essas duas contradições e as colocando numa matriz 2×2 podemos começar a usar da empatia para planejarmos a reação de nosso conceito para cada cenário representado nos quadrantes dessa matriz.


Fonte: http://granddesigns.com.br/blog/matriz-de-abertura-como-e-quando-lancar-minha-ideia/

 Analisando externamente o quanto o mercado que a sua ideia poderá estar inserida é volátil ou estável somos capazes de imaginar diferentes funcionalidades e proteções que o nosso produto ou serviço deve ter. Da mesma forma que devemos analisar o quanto nós e todas as partes interessadas estão dispostas a abertura para compartilhamento de conhecimento. Os quatro diferentes cenários nos levam a conceitos que podem ser alinhados para diferentes abordagens.

 Como aplicar?

 1. Fechado e Volátil

Nesta situação, estaria se vivendo em um cenário bastante negativo onde “os fracos não têm vez”. O ideal é tentar fugir
de uma realidade como essa, mas se você enxergou uma grande oportunidade que o faz querer entrar nesse campo de batalha, principalmente pelo fato de seu produto ou serviço possuir algumas características e informações que trazem grande vantagem competitiva… faixa do rambo na testa e faca nos dentes darão a tônica do dia a dia ao desenvolvimento da sua empresa, porém você terá que ser silencioso no mercado. Provavelmente o seu sucesso estará muito relacionado a
executar algumas atividades chaves muito melhor que os seus concorrentes, de forma a fazer com que você seja um dos poucos sobreviventes, ou seja, “O Rei dos Cachorros”.

 2. Fechado e Estável

Numa situação como esta, estamos fadados a trabalhar com diversas limitações para o sucesso do nosso conceito, mesmo que inovador. Para tal, devemos ter um time especialista em identificar quais seriam essas limitações e como poderíamos ultrapassá-las de forma a utilizar o melhor de nossos recursos, guardando conosco todos os nossos avanços como forma
a ter vantagem competitiva. Este cenário nos leva a utilizarmos táticas muito mais alinhadas a defesa contra concorrentes.

 3. Aberto e Estável

Aqui a situação parece bastante favorável pois o crescimento é bastante perceptível a todos os envolvidos, bem como muitas informações estão disponíveis. Porém, essas informações estão disponíveis a qualquer um, assim como todos têm ideia que esse é um mercado a ser explorado. Resumindo bastante, podemos dizer que é um oceano azul que provavelmente não foi descoberto por você, e que vai mudar de cor. A dúvida é: quando? É preciso ter “olhos de águia” para identificar os sinais do mercado, pois essa fonte vai secar… mais cedo ou mais tarde.

 4. Aberto e Volátil

Seria esse o fim do arco-íris que seu produto ou serviço te trouxe? Parece brincadeira, mas é importante fazermos esta
pergunta pois é essa a reação que precisamos ter aos nos perguntar. É hora de ser rápido e usar e abusar das informações disponíveis e das pessoas que estão dispostas a usufruir de recursos que gerem ainda mais informação, pois esse, pode ser o seu grande diferencial no mercado. É necessário ser muito rápido e ter poderes de adaptação de um camaleão.

 Referências:

 Websites: Matriz De Abertura: Como E Quando Lançar A Minha Ideia?

https://gogd.in/home/blog/matriz-de-abertura-como-e-quando-lancar-minha-ideia/

COMPARTILHE ESSE ARTIGO!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
plugins premium WordPress